Modo Manual

Antes de mais, quero esclarecer que o modo manual não deve ser confundido com a focagem manual. É um assunto completamente diferente e no modo manual tanto se pode usar focagem manual como automática!

Fica a saber também que este modo não é nenhum bicho de sete cabeças! O que leva muitas pessoas a "temer" o modo manual é não terem compreendido os conceitos básicos da fotografia. Por este motivo, antes de passares para o modo manual aconselho-te a ler também o artigo sobre a profunidade de campo e que percas uns dias a experimentar os outros modos da câmara.


Avisos dados, vamos ao que interessa!
Como o próprio nome indica, no modo manual as configurações têm de ser feitas manualmente. O objectivo é o mesmo que nos outros modos: conseguir combinar a abertura, velocidade do obturador e o ISO de forma a conseguir a exposição pretendida.

Ok... isto é muito bonito mas como é que consigo saber quais as combinações para obter uma exposição correcta? Para tal deves usar um medidor da intensidade da luz chamado fotómetro. Mas antes de ires a correr comprar um, tenho uma boa notícia para ti: As câmaras têm um fotómetro incorporado :)

Nas máquinas digitais o fotómetro tem um aspecto similar ao da imagem e tanto pode aparecer no visor como no LCD.
Assim, uma vez seleccionada a combinação abertura/velocidade, ao apontares a câmara, o ponteiro do fotómetro move-se. A exposição está equilibrada quando o ponteiro está perto do valor central (zero).

Se o ponteiro estiver demasiado para a direita (valores positivos) vamos ter uma imagem sobre-exposta e temos de arranjar forma de reduzir a quantidade de luz captada. Por outro lado, se estiver para a esquerda temos de captar mais luz para evitar uma imagem sub-exposta.


EV - Valor de Exposição


A unidade de medida da luz usada pelo fotómetro é o EV ou Valor de Exposição.
Aumentar 1 EV significa duplicar a quantidade de luz. Diminuir 1 EV significa reduzir a quantidade de luz para metade. Resumindo, por cada passo aumentado (salto de 1 valor), a quantidade de luz duplica e, por cada passo reduzido, a quantidade de luz reduz-se para metade.

Confuso? Eu também fiquei um bocado mas, em termos práticos, o que estes valores significam é o seguinte:
Quando o fotómetro indica o valor 1, significa que a área para a qual estamos a apontar a câmara tem 2 vezes mais luz que a pretendida. Se indicar o valor 2, como são 2 passos de diferença, significa que a área tem o dobro do dobro de luz, ou seja, tem 4 vezes mais luz que a pretendida.


Mas afinal como é que tiro as fotos?


Se já estás habituado a utilizar o modo de Prioridade à Abertura e o modo de Prioridade à Velocidade, vais reparar que o modo manual não é muito diferente. Apenas tens de controlar a parte que a máquina faz automaticamente nos outros modos.
Nota: como o método de inserção varia de câmara para câmara, não o posso descrever aqui e aconselho-te a ler o manual de instruções.

Imagina, mais uma vez, que estás a fotografar uma corrida de motos e vais usar a câmara no modo manual. Para começar a configurar a câmara tens de partir de algum lado. Neste caso, sabes que para congelar o movimento e ter imagens nítidas tens de usar uma velocidade alta como 1/500, podes começar por aí.
Se estivesses a usar o modo de Prioridade à Velocidade, ao inserires a velocidade 1/500, a câmara automaticamente calcularia a abertura. No modo manual és tu quem vai ter de calcular a abertura. Como se faz isso? É simples. Usando o fotómetro.

Suponhamos que inseriste 1/500 para a velocidade e f/8 para a abertura. Apontas a câmara para o motivo a fotografar e o fotómetro indica -2 EV. Isto significa que a fotografia vai ficar escura e tens de deixar entrar mais luz. Neste caso, 4 vezes mais luz.
Como é que podemos corrigir esta situação? Tal como já foi referido em posts anteriores, temos 3 opções:
  • Uma das formas de deixar entrar mais luz é aumentar a abertura. Para este exemplo, teríamos de aumentar a abertura 2 stops para compensar os -2 EV.
    Aumentar a abertura 1 stop significaria seleccionar f/5.6. Com esta escolha, o fotómetro ficaria a indicar -1 EV. Com mais 1 stop, para f/4, o fotómetro indicaria 0 EV e, finalmente, teríamos a combinação para uma exposição correcta. Podes recordar a sequência dos valores da abertura aqui.
  • Outra forma é diminuir a velocidade 4 vezes. 1 vez para 1/250 e outra para 1/125.
    Neste caso não seria a melhor opção porque precisamos de uma velocidade alta para porder "congelar" os objectos em movimento.
  • Por último, poderíamos compensar a falta de luz aumentando o ISO 4 vezes. Se, por exemplo, estivéssemos a usar ISO 100, poderíamos escolher ISO 400.

Qualquer uma destas opções tem a sua contrapartida:
  • Quanto maior a abertura, menor a profundidade de campo, o que obriga a uma focagem mais precisa.
  • Com uma velocidade mais baixa os objectos podem ficar "tremidos".
  • Quanto mais alto for o ISO, mais ruído/grão ficará na imagem.

Esta é a vantagem do modo manual. Dá-nos controlo total sobre todos os parâmetros da câmara e permite-nos tomar decisões que vão distinguir as nossas fotos de outras tiradas no modo automático.


Espero ter conseguido explicar como funciona este modo. Fico à espera dos teus comentários e outras dicas sobre a utilização do modo manual ou sobre outras experiências. Penso que seria interessante criar um espaço de discussão onde todos possamos aprender.

Boas fotos!

© Mário Pereira - 2012
Proibida a cópia integral ou parcial dos textos


43 comments:

Duarte Fernandes Pinto disse...

Bom Blog, Mário, já me fiz seguidor ... Tenho muito para aprender no que se refere à técnica da fotografia...
Deixo a sugestão de visitar e seguir o meu blog: A Terceira Dimensão - Fotografia Aérea de Portugal
Por favor faz-te seguidor ...

Diogo L disse...

Hey Mário. Sou ainda novato na fotografia portanto a pergunta que tenho a fazer pode ser ridícula. Quando funcionamos nos modos P, Tv, Av e M, temos o modo criativo, equilibrar brancos, etc. Gostava de saber como mexer com isso e se me puderes dar umas dicas, agradecia. Abraço.

Mário Pereira disse...

Olá Diogo. Nenhuma pergunta é ridícula e a tua toca num ponto bastante importante sobre o qual ainda não tive oportunidade de escrever: o equilíbrio dos brancos.
Isto o que faz é alterar a temperatura da cor de forma a obter brancos realmente brancos, como nos detergentes :). Agora a sério, dependendo do tipo de luz (ar livre, uma lâmpada fluorescente, etc) vais precisar de compensar a cor aumentando a temperatura (+ amarelo) ou diminuindo (+ azul). Normalmente isto é feito automaticamente pela câmara mas podes configurar caso a caso se a detecção automática estiver a falhar. Mais à frente vou escrever um post mais detalhado sobre o equilíbrio dos brancos.

Quando ao modo criativo, este não faz mais que os modos Tv e Av. A diferença é que no modo criativo dizes o que queres fazer sem necessitares de conhecimentos sobre abertura, velocidade, etc. Por exemplo, podes dizer que queres desfocar o fundo e ele automaticamente selecciona a abertura correcta. Pessoalmente acho que é melhor tentar entender os conceitos e usar, por exemplo, o modo Av seleccionando uma abertura grande.

Espero ter conseguido esclarecer as tuas dúvidas.

Um abraço!

Diogo L disse...

Sim, esclareceste, aliás, tenho aprendido muito com o teu blog. Gostava que toda a gente que se interessasse por fotografia desse uma vista no teu blog, pois está muito bem feito. Continua com o bom trabalho que quem te acompanha, com certeza, continuará a seguir.

Abraço ;)

Maria Lucia disse...

Encantada mesmo com o teu blog, com a tua infinita generosidade, a tua vontade de ajudar, com a tua clareza na forma como explicas!
Que grande, bonito e proveitoso trabalho!!!
Obrigada e bem hajas

Mário Pereira disse...

Maria, assim até fico sem palavras :)
Obrigado por leres o blog e pelos comentários!

Zufenili disse...

Olá Mario!
Encontrei teu blog por acaso hoje em consulta ao google
Estou adorando e certamente irie acompanhar sempre.O mais interessante é que tenho um comentário seu em uma de minhas fotos no Olhares
Não imaginas o quanto estou lisonjeada!
Obrigada!

Mário Pereira disse...

Obrigado Zufenili!
Fico contente por saber que gostaste do blog :)

samuelm disse...

olá Mario :)
ando a dar os primeiros passos na fotografia, já com alguns trabalhos mas sem noção nenhuma destes conceitos e da sua importância.
O teu blogue é um autentico ponto de ajuda, mesmo fabuloso e aprendemos sem duvida muita coisa :)
Obrigado e continuação de um excelente trabalho, tens fotos admiráveis :)

Pedro Carvalho disse...

Boas mário, sou um amador da fotografia mas comecei a interessar-me imenso por macro, tanto que estou a pensar em comprar uma reflex canon eos 1000d, com OBJECTIVA EF-S 18-55 incluida e depois comprar uma objectiva TAMRON OBJECTIVA AF 70-300 MM F/4-5,6 DI LD MACRO 1:2 ,que me ficaria a volta de 550eurs a 600... mas como não sei muito de reflex, nao sei se esta seria a melhor escolha para fotografar particularidades de objectos ou animais, por exemplo os pelos ou asas de um insecto... já estive com uma 450d de uma amiga minha e é muito boa. Se soubesses qual a melhor maquina reflex no mercado para macros e objectivas na prespectiva preço/qualidade, agradecia-te imenso... Não queria comprar uma coisa que não conseguisse fazer aquilo que desejo. Obrigado mais uma vez, o teu blog é muito util e será ainda mais quando tiver a minha própria reflex. Abraço

Mário Pereira disse...

Olá Pedro!
Se o teu objectivo é apenas fotografia macro, não sei se uma reflex é a melhor opção. Esta fotógrafa (http://1x.com/v2/#photos/member/8090/) usa uma câmera bridge (canon sx20IS) com um adaptador macro (Raynox DCR-250) e por menos de 400€ tira aquelas fotos.
A vantagem das câmaras bridge na fotografia macro é proporcionarem maior profundidade de campo que é muito importante na fotografia macro.

Quanto à reflex de que falaste, a 1000D é uma boa câmara. O problema é que a lente que vem incluída, a 18-55mm sem IS, não tem fama de ser grande coisa. A 450D é melhor e vem com a 18-55mm IS. (A 500D e 550D são ainda melhores e têm vídeo mas também são mais caras)
A Tamron 70-300, não te aconselho porque não é uma lente verdadeiramente macro (teria de ser 1:1).
As lentes macro 1:1 não são baratas. Tens, por exemplo, a Tamron 90mm f/2.8 Macro e Canon 100mm f/2.8 USM Macro.

Espero não te ter confundido ainda mais... (se tiveres mais perguntas podes fazê-las por e-mail para focaessafoca@gmail.com)

Abraço

Pedro Carvalho disse...

Compreendi perfeitamente o que disse. So não queria uma compacta compacta, mas essa até me admirou, não sabia que haviam maquinas com tanto zoom sem ser reflex... Estive mesmo a ver agora na pixmania e existe a Canon sx30 IS por 419euros com 35x zoom apresentando uma distância focal grande-angular de 24 mm a 840 mm. Acho que é a sucessora à maquina que me indicou... Só nao sei se dará para adaptar o Raynox DCR-250, acha que sim? Mais uma vez, muito obrigado pelas dicas uteis... Com esta máquina conseguirei fazer mais do que uma reflex pelo mesmo preço, e como não tenciono fazer carreira de fotógrafo será o melhor...

Mário Pereira disse...

Pedro, pelo que li precisas de um adaptador deste tipo (http://www.lensmateonline.com/store/sx20sx10sx1.php) para usares o DCR-250 nessa câmara.

A minha intenção não era aconselhar-te sobre um modelo de câmara específico (até porque nunca os experimentei). Apenas te dei o exemplo daquela fotógrafa para te mostrar que, para fazer fotografia macro, uma reflex não é a única solução.
O importante é perceberes os prós e contras da escolha entre uma reflex e uma bridge para este efeito.

Boa sorte!

Pedro Carvalho disse...

http://www.canon.pt/For_Home/Product_Finder/Cameras/Digital_Camera/PowerShot/PowerShot_SX30_IS/index.aspx?specs=1 - Entendo o que disseste, mas deste-me um bom exemplo, eu simplesmente pesquisei mais dessas cameras bridge, e verifiquei que esta, a canon sx30 is é a melhor a meu ver de todas as bridge que vi, e tambem a meu ver, com os adaptadores faz muito bem macro e sem eles deve tirar fotos optimas pois pelas caracteristicas que ela tem, má não o é de todo. O link que te pús ai em cima mostra isso... as 3 peças (maquina, adaptador e lente) deverá me ficar por 500euros, caro mas dará para tudo, fotos amplas e fotos com muitissimo zoom, para nao falar dos videos HD... Para já nao tenho esse dinheiro, mas vou fazer por isso... Abraço e muito obrigado mais uma vez pelas dicas...

Gonçalo disse...

Boa Tarde Mario, desde já o seu blog é magnifico. tenho uma dúvida, por exemplo se quiser tirar na parte interior, ou seja, dentro de casa no modo manual para tirar as pessoas familias (festas de aniversario, etc) está sempre indicar me de que devo baixar a velocidade ate quase de que é necessario um tripé e quando quero pôr numa velocidade tipo 1/60, 1/80 com a abertura 5.6 e fica preta, isso quer dizer que geralmente a unica soluçao é usar o flash, é isso? pois quando ponho no modo automatico nem precisa o flash mas que fica muito ruido que vai para o ISO 1600. se calhar mais vale usar o ISO mais baixo e usar o flash e aumentando a velocidade por volta 1/100, 1/200 para os rostos e as paredes brancas NAO( esqueci de escrever o "nao") aparecerem os raios do flash, nao é? espero que me possa esclarecer algumas coisas, como o mario diz "é bom ajudar um ao outro"
Um Abraço!
Continue assim que é o blog nao de 5 mas sim de 6 estrelas!

Mário Pereira disse...

Olá Gonçalo!
O teu raciocínio está correcto.
Quando a lente já está na abertura máxima (f/5.6 no teu caso) e queres captar mais luz só tens 3 opções:
- diminuir a velocidade (a partir de um certo valor as fotos ficam tremidas)
- aumentar o ISO (quanto maior, mais ruído)
- usar flash (o flash da câmara produz uma luz um pouco "dura" e pouco difusa)

Em relação ao flash, não tenho muita experiência mas, para não ficarem esses reflexos da luz, o que se faz é usar um flash externo e apontar a luz para os lados ou para cima. Assim, a luz é reflectida das paredes ou do tecto e ilumina as pessoas de uma forma mais difusa, criando fotos mais naturais.

Outra solução é usares uma lente mais rápida (com maior abertura). Uma abertura f/2 deixa entrar 8 vezes mais luz que f/5.6. É claro que, com maior abertura, também ficas com menos profundidade de campo...

Abraço

Gonçalo disse...

boa tarde mario, pois é exactamente isso. só uso o flash proprio da maquina e a minha objectiva ainda é da 18-55mm e dai a maxima é de 5.6 e as vezes vai para 3.5 mas raramente. as vezes punha um papelzinho a "estampar" no flash para nao haver os reflexos da luz ehehehe entao ja estou mais que esclarecido.

Abraçao!

pedro disse...

Excelente este blog Mário.

Penso que a técnica é muitas vezes um factor de desmotivação para quem se quer aventutar na fotografia "mais a sério" mas este blog explica de forma incrivelmente sucinta alguns dos parâmetros mais importantes.
É um bom ponto de partida para quem se quiser aventurar nesta arte, como eu ;-)

Aproveito para te dar os parabéns pela fantástica galeria no Olhares.

Vou ficar atento a desenvolvimentos.

Anónimo disse...

Blog está de parabéns!! Começando a estudar fotografia e acabei de comprar uma Canon SX130!
"Brincar" com ela um pouco antes e daqui a um tempo partir para uma DSLR!!

Anónimo disse...

Parabéns pelas muitas dicas que nos passas e que nos alertam para as coisas mais simples e mais lógicas que fazem toda a diferença no resultado final.
Muito bem escrito! Felicidades e nunca deixes este teu trabalho que ajuda muita gente que necessita de algumas dicas (como eu). O resto cabe a cada um treinar. Encontramos-nos no Olhares.
M. Brunner

LUCIANO disse...

Cara . adquirir uma nikon d5100, e kero muito usa-la no modo manual...mas num to sabendo tirar fotos dentro de casa sem o flash...fica escurao ou quase sem imagem tudo preto! Li teus post...e fiz algumas alterações, mas mesmo assim ainda tenho problemas... no modo automatico é lindas as fotos...mas kero aprender usar modo manual e fazer fotos dentro de casa sem uso de flash, apenas luz natural!vpode ajudar ? sou apaixonado por foto, ao mesmo tempo que sou leigo em cameras dslr

Mário Pereira disse...

Olá Luciano.
O modo manual não vai fazer milagres. Se não houver luz suficiente, a foto vai ficar escura a não ser que faças uma longa exposição.
Por outro lado, não é preciso usar o modo manual para tirar fotos sem flash. Já experimentaste o modo "prioridade à abertura"?
Aconselho-te a ler outra vez, com calma, os primeiros 6 artigos do blog: http://focaessafoca.blogspot.pt/p/indice.html
Só quando entenderes bem as bases é que vais conseguir tirar esse tipo de fotos que queres. Tens de entender bem o que influencia a forma como a câmara capta a luz.
Qualquer dúvida, diz!
Abraço

Anónimo disse...

Prezado Mário,

Parabéns pelos seus posts.

Há pouco tempo adquiri uma câmera semi-profissional. Meu interesse em aprender o modo manual é imenso. Mas, não encontrava fontes com informações para tal necessidade. Isso até conhecer seu blog.

Aqui, muito mais que conhecer o modo de operação manual da câmera, encontrei como cada função desse modo opera (Obturador, exposição, etc.)

Mais uma vez parabéns e que Deus o abençoe.

Anónimo disse...

Estou com o msm problema do Luciano e não é por falta de experiência em mexer em uma dslr. Na Nikon d5100 está dando problema nos modos manuais e por mais q se acerte iso e abertura as fotos saem completamente pretas. Será q alguém encontrou a solução pra isso? Não sei mais o q modificar na câmera para a foto dar certo.

Mário Pereira disse...

Faz o seguinte teste: Tira uma foto no modo P e aponta num papel as configurações escolhidas pela câmara (Abertura, Velocidade e ISO).
Escolhe o modo manual e insere as mesmas definições.
Se a foto no modo P saiu bem e a foto no modo M sair completamente escura, então aí é problema na câmara.
Depois diz como correu.
Abraço

Julio Neves disse...

Mário,

Novamente, excelente post, bem como todos os demais seus. Só hoje descobri seu blog, e estou realmente encantado com sua forma simples, objetiva e super didática de expor seus conhecimentos e suas dicas.
Uma consulta: eu estou propenso a adquirir uma Super zoom, no caso, a Canon SX-50, que julgo ser adequada a atender minhas necessidade no momento, mas fiquei receoso em fazê-lo dado o fato da dificuldade de obter o desfoque de fundo, em virtude do tamanho relativamente pequeno do sensor. Voce acredita que utilizando as sugestões suas eu venha a consetuir bom desfoque de fundo, ou suas sugestões são mais aplicáveis a camêras com maior tamanho de sensor (tipo APS-C, por exemplo) ?
Ou voce teria, no campo da SuperZooms, alguma outra recomendação, inclusive de câmera.

Agradeço sua ajuda, se possível

Abraço

Júlio

Mário Pereira disse...

Olá Júlio,

É verdade que nas câmaras de sensor mais pequeno é mais difícil desfocar o fundo. Nunca vais conseguir o mesmo desfoque que numa câmara de sensor maior. Ficam os fundos desfocados até um certo ponto mas não é a mesma coisa e, se é isso que procuras, acho que vais ficar desiludido.
Não sei qual é o tipo de fotografia que pretendes mas, para retratos, com uma dSLR de entrada de gama com uma 50mm f/1.8 ficas mais do que bem servido.
A desvantagem é que não vais ter esse zoom todo... Agora só tu podes decidir o que é mais importante para ti.

Qualquer dúvida, pergunta!
Abraço

Julio Neves disse...

Olá Mário

Nuito grato!
Vou pensar mais e tendo mais dúvidas eu lhe escrevei.

Abraço

Julio

Eduardo Alves disse...

Oi Mário,
Elogios seriam redundantes, aconselho a escrever um livro, vai vender muito. Serei o primeiro a comprar.
Enquanto unsn fazem terrorismo cultural outros como você simplismente tornam as coisas mais fáceis de entender, tens o dom meu amigo, vá em frente.
Parabéns
Eduardo

Mário Pereira disse...

Muito obrigado pelo incentivo, Eduardo. Talvez um dia, quem sabe :)
Um abraço

Edir disse...

Sem querer querendo descobri seu blog depois de tanto pesquisar.
Suas explicacöes säo claras e objetiva.
Parabéns !!!

Mário Pereira disse...

Obrigado Edir!
Abraço

A minha pequena nuvem disse...

Olá, a minha maquina é a Nikon 3100 e estou com imensas duvidas em trabalhar com manual na maquina fotografia, imaginemos que eu quero usar 1/4000 de velocidade, estou a usar abertura máxima do diafragma, o ISO no máximo e mesmo assim a foto fica escura, o problema será da maquina ou da minha lente? a minha lente é 18-55 mm foi a que veio com minha maquina, será que para conseguir que a foto fique clara digamos assim tenho de ter outra lente que faça uma abertura maior que a minha? o máximo que estou a conseguir fazer é f4.5, e ainda so tentei fotografar dentro de casa, se eu tentar na rua as fotos vão ficar melhores por ter mais luz? Eu fiz o teste que disse ao anónimo acima tirei uma foto em modo P apontei ISO, abertura e velocidade e a foto sai bem nos dois modos. Já agora adoro o seu blog só aqui e que comecei a entender que o problema das fotos ficarem escuras era por falta de luz xD
Se me poder ajudar agradecia, cumprimentos e desde já obrigada.

Mário Pereira disse...

É normal as fotos ficarem escuras a 1/4000 dentro de casa. Com essa velocidade quase não há tempo para entrar luz! Para que precisas de uma velocidade tão alta?

A minha pequena nuvem disse...

Era mesmo só para teste, não conseguia entender porque ficavam escuras, cheguei a ir a fotógrafos da minha zona que diziam que era uma funcionalidade que eu tinha activada , chegaram me a dizer que era que era do software, e eu já não entendia nada. Obrigada pela ajuda

videoclipe disse...

Pessoal, Estou filmando com minha 7D (lente 15-85mm ) a imagem está ótima, só que o fundo preto fica chuviscando. Alguém sabe como ajustar isso? Obrigada.

stefany santos disse...

Tenho uma nikon D7100 e percebi que no modo manual as fotos sem flash estão saindo praticamente pretas! peço ajudas!

Mário Pereira disse...

videoclipe, o problema certamente será o ISO. Deve estar um valor elevado, daí o ruído.

Mário Pereira disse...

stefany santos, para as fotos ficarem mais claras, o sensor tem de captar mais luz.
Tens 3 opções:
1 - Aumentar a abertura
2 - Diminuir a velocidade
3 - Aumentar o ISO

Izadora disse...

Mario, as minhas fotos estão como as da Stefany. Mesmo regulado a abertura, a velocidade e o iso, elas continuam escuras. pra você ter noção, num ambiente com luz solar intensa, fotografei com iso 100, velocidade 1/100 e f3.5, a foto ficou super escura. A mesma foto com outra câmera, mas as mesmas configurações ficou muito mais clara.

Mário Pereira disse...

Olá Izadora,
Isso realmente é muito estranho... Deve haver algum problema com a objective ou então com a câmara. Já experimentaste com outra objectiva?

Anónimo disse...

Oi! Tenho uma Nikon Coolpix p520, e gostaria de saber onde regulo a câmera para que a foto que eu tirei apareça na hora no visor, tipo, bater e ela aparecer no visor da câmera... Obrigado!

nini gomes disse...

Parabéns pelo blog e obrigada pela forma simples e bem elucidativa como explica todas as técnicas.Fotografar no modo manual não é assim tão dificil,como parece.As suas dicas ajudaram-me imenso,a conseguir ultrapassar este receio do manual.Com a prática já me vou aperfeiçoando.Obrigada pela partilha

Enviar um comentário